Radiologia digital: transformando o processo de diagnóstico

animati1

Radiologia digital: transformando o processo de diagnóstico

O avanço da tecnologia tem trazido inúmeros benefícios para a área da saúde, especialmente no que diz respeito à medicina diagnóstica. Com o uso de ferramentas adequadas, as práticas de telemedicina e da telerradiologia estão cada vez mais presentes no cotidiano médico/paciente. A telemedicina ou telessaúde, faz uso de tecnologias de informação e de comunicação para o intercâmbio de informações, treinamentos e serviços na área da saúde. Apesar de no Brasil a prática da telemedicina ainda ser restrita, em outros países já é possível que médicos atendam pacientes à distância, no qual os cuidados podem ser prestados virtualmente, reduzindo consideravelmente o custo das consultas. Outra vantagem da telemedicina é o uso de dispositivos para o acompanhamento mais frequente de pacientes. Um exemplo é o projeto do Centro Nacional de Telessaúde (CNTS), criado em Portugal em outubro do ano passado para fomentar as teleconsultas e reforçar o uso sistemas remotos  para o monitoramento de pacientes que estão em casa.

 

A telerradiologia, por sua vez, consiste na transmissão de imagens radiológicas (por exemplo: exames de tomografia e raio-x) de pacientes entre diferentes locais para a emissão de um relatório médico (laudo), de uma segunda opinião de especialista ou para uma revisão clínico-radiológica. A telerradiologia mostra sua importância para a população ao passo em que possibilita a radiologistas realizar laudos via internet sem a necessidade de locomoção até uma clínica ou hospital, o que é imprescindível, tendo em vista que estes profissionais tendem a se concentrar em grandes centros de referência. Sendo assim, a população que reside no interior e em locais de difícil acesso, também carece de diagnósticos precisos elaborados por especialistas, fato que torna-se possível através da telerradiologia. Outra vantagem é a viabilidade para a análise do mesmo exame por vários médicos, incentivando o interpretação colaborativa e consequentemente um diagnóstico mais preciso.

 

Uma das principais ferramentas para a telerradiologia são os sistemas PACS (Picture Archiving and Communication System – Sistema de Comunicação e Arquivamento de Imagens),  que são capazes de armazenar e transferir imagens de forma segura para outros locais através da Internet, viabilizando a emissão de laudos e otimizando o ciclo de diagnóstico. A radiologia digital, por sua vez, constitui a base para a telerradiologia. Diferente da radiologia convencional, na radiologia digital não há a necessidade da revelação química de filmes. Uma vez no computador, a imagem pode ser processada, enviada para profissionais de saúde em qualquer local que estejam, armazenadas ou até mesmo impressas. Por não utilizar o filme radiológico, o processamento digital não gera resíduos prejudiciais à natureza e, fazendo uso das ferramentas adequadas, o exame é impresso apenas se solicitado pelo profissional ou pelo paciente, reduzindo assim, os custos de impressão de exames.

 

A radiologia digital e a telerradiologia trazem benefícios para clínicas, hospitais, médicos e pacientes. Uma das principais vantagens está associada ao aumento da eficiência para realização do diagnóstico,  pois a capacidade de transferir digitalmente as imagens geradas para qualquer lugar, juntamente com as demais informações associadas, traz ganhos significativos para todos os envolvidos no processo.

 

Saiba mais sobre o sistema que possibilita o armazenamento e comunicação de imagens, com segurança e eficiência na distribuição de exames e laudos, clicando aqui

 

Fontes:

Sociedade Paulista da Radiologia

Serviço Nacional de Saúde de Portugal

Jornal da Imagem